Falta de acesso coloca mulheres em risco

Falta de acesso coloca mulheres em risco


Listadas no grupo de risco para o novo coronavírus, as gestantes e mulheres puerpério (os 42 dias pós-parto) passam por um grande problema no segmento da saúde. As mulheres estão tendo dificuldades no acesso aos anticoncepcionais e na consulta com ginecologista. O SUS garante a consulta com ginecologistas para aquelas mulheres que procuram contraceptivos no mesmo. Entretanto com avanço da pandemia esse acesso está cada vez mais restrito.
A falta de obtenção a vasectomia, laqueaduras e até pílulas anticoncepcionais vai contra a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), para que seja respeitado o direito à contracepção, independentemente de a paciente ser ou não Covid-19.
É fundamental que exista ampla disponibilidade dos métodos e precedimentos contraceptivos, até mesmo para preservar o direito de evitar uma gravidez no momento inadequado tanto na questão da saúde como na financeira.
O pré – natal é um acompanhamento que as mulheres também estão tendo dificuldades de acessar em meio a essa pandemia.
A assistência à gestante é fundamental e deve continuar normalmente. É obrigatório que todas as futuras mães estejam conscientes da importância de prosseguir com o acompanhamento à sua gravidez.
O pré – natal é fundamental e não deve ser abandonado, ele é essencial para um parto tranquilo, seguro e humanizado.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
WhatsApp chat