Você sabe o que significa ter insuficiência istmo-cervical (IIC)?

Insuficiência istmo-cervical significa que o colo útero é mais fraco ou curto que normal, ou seja a incapacidade de manter um gravidez.

O problema é que a dilatação pode acontecer rápido demais e o bebê nascer muito antes do tempo, ainda no segundo trimestre. Nessa fase da gestação, a criança tem poucas condições de sobreviver fora da barriga, e pode acontecer o chamado aborto espontâneo tardio.
Normalmente a incompetência istmo-cervical não apresenta sintomas, é suspeitado após uma ou mais perdas sem motivo aparente.
O ideal é que depois da experiência e antes de engravidar de novo, a paciente deve converse com o Obstetra para que investigue o problema.

Se os riscos forem detectados antes da gravidez, será mais fácil administrar o caso e pensar em procedimentos que evitem perdas.

Caso o médico considere que você pode estar com insuficiência cervical, pode pedir mais ultrassons transvaginais desde o começo da gravidez para acompanhar o colo do útero e procurar sinais de “apagamento” (afinamento).

Quanto mais curto estiver o colo do útero, maior é a possibilidade de haver parto prematuro ou aborto tardio, dependendo do tempo de gravidez.

Mas saiba que nem toda situação de colo curto leva a um parto prematuro. E nem todo colo curto é indicação de insuficiência cervical. ​

Participe do nosso Curso para Gestante

Gravidinhas,
Novidade pra anotar na agenda:
Dia 26 de Agosto, acontece nosso primeiro Curso para Gestantes!
A carga horária é de 8 horas e a programação envolve os principais dilemas dos pais de primeira viagem: cuidados com a amamentação, cuidados com o bebê na prática, trabalho de parto, baby blues, depressão pós-parto e muito mais…
Todas as gestantes e familiares são bem-vindos!
Para se inscrever e saber mais, acesse o link: Somos Mães de Primeira Viagem – Curso para Gestantes 

Diabetes Gestacional: o que é?

O diabetes gestacional é uma hiperglicemia, ou seja, aumento dos níveis de glicose no sangue, e geralmente, se cura logo após o parto. Mas se a mulher teve diabetes gestacional, ela está em risco para o diabetes tipo 2. Dessa forma, é importante manter os cuidados e acompanhamento médico mesmo após ter o bebê

O diabetes gestacional raramente causa sintomas. Dessa forma, é preciso fazer exames periódicos durante toda a gravidez, principalmente entre as semanas 24 e 28. É importante fazer esses exames uma vez que o açúcar elevado no sangue pode causar problemas para você e seu bebê

O que é Blues Puerperal

Nos primeiros dias, logo após o nascimento do bebê, é normal que a mamãe se sinta irritada, triste e com vontade de chorar. É um fenômeno chamado blues puerperal, conhecido também como melancolia puerperal.
A mãe pode sentir:

 Preocupação excessiva com a saúde do bebê
⠀ 
 Ansiedade e nervosismo

Dificuldade de se concentrar

 Cansaço e dificuldade para dormir

 Vontade de chorar sem motivo

O blues puerperal não é uma doença e vai passar rapidamente. Os piores momentos costumam ser entre o terceiro e o quinto dia pós-parto, mas a melancolia deve ir embora até o fim da segunda semana.

Porém, vale ressaltar que caso a mãe continue se sentindo muito triste por mais de um mês depois do parto, ela pode estar sofrendo de depressão pós-parto, sendo necessário consultar um especialista urgentemente. 

Colostro: o primeiro leite materno

O colostro é um líquido espesso, pegajoso, de cor clara e amarelada, que as mamas armazenam a partir do sétimo mês de gravidez. Confira alguns benefícios do colostro para o Bebê:

O colostro é o primeiro alimento perfeito para bebês, com mais proteína e vitamina A do que o leite materno maduro;

O bebê não deve consumir água ou qualquer alimento artificial, pois o colostro se dilui. Os rins do recém-nascido não estão preparados para receber grandes volumes de líquidos e a água adicional coloca-os sob pressão. Por isso, não é necessário oferecer água aos recém-nascidos;
O colostro é laxante e ajuda o bebê a eliminar o mecônio, que pode prevenir icterícia;
Contêm proteínas especiais que possuem a capacidade de defender o recém-nascido de infecções. O colostro é a primeira imunização do bebê contra muitas bactérias e vírus.

 

Frequência urinária aumentada na Gravidez

Qual a grávida que nunca sentiu vontade de urinar no meio da noite?! Isso pode acontecer por conta do avanço da gestação, o tamanho do útero diminui a capacidade da bexiga, justo no período em que o seu organismo está produzindo mais urina, além disso, há mais sangue circulando, ou seja, mais líquido sendo processado pelos rins. Mesmo com a bexiga vazia, algumas futuras mamães podem sentir a sensação de que ela ainda está cheia, por conta da pressão.

Caso a gestante sinta dor, queimação ou uma enorme vontade de urinar e só fazer gotinhas é melhor procurar o médico. Esse é um sinal da polaciúria, um problema de micção conhecida como frequência urinária aumentada.

Descolamento da Placenta: o que é?

A placenta, responsável por oferecer nutrientes e oxigênio para o bebê, pode se desgrudar da parede do útero. Nesses casos, dizemos que houve um descolamento, que pode ocorrer de duas maneiras: no início da gestação, conhecido como descolamento ovular, que ocorre quando o sangue se concentra entre o útero e o saco gestacional, formando um hematoma e causando sangramentos; e o que ocorre no final da gestação, conhecido como descolamento prematuro da placenta, que é mais grave e pode apresentar maior risco de óbito para o bebê e consequências para mamãe, como a histerectomia, ou seja, a retirada cirúrgica do útero materno.

Este problema pode estar relacionado ao uso de cigarro, drogas, à idade da mãe, à pressão alta durante a gravidez e a alguns traumas, como quedas e acidentes de carro.

Fases do Puerpério

O puerpério é o período pós-parto, quando o corpo da mulher volta ao estado normal, passando por grandes mudanças físicas e emocionais, que vai desde a expulsão da placenta até a sexta ou oitava semana após a paciente ter dado a luz. Ele se divide em três fases. A primeira é o imediato, que ocorre a partir do momento da saída da placenta até duas horas depois do parto. A segunda é o mediato, que acontece das duas horas até cerca de 10 dias depois do parto. E por fim há o tardio, que ocorre a partir dos 10 dias até o final da oitava semana ou até os ciclos menstruais voltarem.


Durante esse período, estas mudanças podem causar um grande impacto no humor, deixando a mulher mais sensível e vulnerável. É importante encontrar apoio nos familiares e sobretudo, no companheiro. Se a mulher se sentir triste e exausta por muitos dias, é importante conversar com o médico para afastar depressão pós-parto.

Suplementação diária de ferro e ácido fólico em gestantes

Estima-se que 41,8% das gestantes em todo o mundo sejam anêmicas. Considera-se que pelo menos metade desses casos seja resultante de deficiência de ferro. Os Estados Membros solicitaram orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre os efeitos e a segurança da suplementação de ferro e ácido fólico em gestantes como medida de saúde pública para melhorar as condições da gestação em apoio ao seu esforço para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. A OMS desenvolveu estas recomendações substanciadas com evidências utilizando os procedimentos apresentados no guia OMS para desenvolvimento de diretrizes. Os passos deste processo incluem: (i) identificação de questões prioritárias e resultados; (ii) obtenção de evidências; (iii) avaliação e síntese das evidências; (iv) formulação de recomendações, incluindo prioridades de pesquisa; e (v) planejamento para disseminação, avaliação de impactos e atualização da diretriz. A metodologia de Análise, Desenvolvimento e Avaliação da Classificação de Recomendações (GRADE) foi utilizada para preparar perfis de evidências relacionados aos tópicos pré-selecionados, com base em revisões sistemáticas atualizadas. O grupo de orientações sobre diretrizes para intervenções de nutrição, chamado Grupo de Aconselhamento Especializado em Orientações Nutricionais (NUGAG), é formado por especialistas no conteúdo, metodologistas, representantes de potenciais colaboradores e consumidores. Esses especialistas participaram de diversas consultas técnicas da OMS relativas a esta diretriz, realizadas em Genebra, na Suíça, e em Amã, na Jordânia, em 2010 e em 2011.

 

Os Membros do Painel de Especialistas e Colaboradores Externos foram identificados por meio de uma convocação pública para fornecimento de comentários e o envolvimento desse painel ocorreu ao longo de todo o processo de desenvolvimento da diretriz. Os membros do NUGAG votaram sobre o impacto da recomendação, levando em consideração: (i) efeitos desejados e indesejados desta intervenção; (ii) qualidade da evidência disponível; (iii) valores e preferências relacionadas à intervenção, em diferentes cenários; e (iv) o custo das opções disponíveis de funcionários da área de saúde em diferentes cenários. Todos os membros da NUGAG preencheram um Formulário de Declaração de Interesses antes de cada reunião.

 

A suplementação diária oral de ferro e ácido fólico é recomendada como parte da assistência pré-natal para reduzir o risco de baixo peso no nascimento, anemia materna e deficiência de ferro (forte recomendação). A qualidade geral das evidências para suplementação de ferro versus ausência de ferro foi moderada para baixo peso no nascimento, nascimento pré-termo, anemia materna e deficiência de ferro materna no termo. A evidência foi considerada de baixa qualidade para peso no nascimento, morte neonatal, anomalias congênitas, morte materna, anemia materna severa e infecções durante a gestação; enquanto que foi considerada de qualidade muito baixa para efeitos colaterais.

 

Confira o artigo completo clicando AQUI.

Exercício Físico na Gravidez

A inatividade física está associada a vários fatores de doenças, seja ela física ou psíquica. Nesta perspectiva, o exercício físico regular contribui para que este quadro se reverta em promoção de saúde e bem estar da população em geral, livrando-os de patologias. Crendo nisso, cresce o número de adeptos à prática sistemática de exercícios físicos e isso inclui mulheres gestantes. Deste modo, o presente trabalho procurou apresentar, através de revisão de literatura, considerações a respeito do exercício físico na gravidez. Tendo como resultado, pontos positivos a respeito das mudanças fisiológicas, posturais e psicológicas da mulher gestante. E também, vantagens significativas para o desenvolvimento fetal e após o nascimento.

Sabia mais clicando AQUI.