Sobre a Febre Amarela e a “falta de vacinas para todo mundo”

A febre amarela é o assunto do momento, e por conta disso surgem muitas dúvidas. Saiba agora o porquê você deve ou não tomar a vacina da Febre Amarela, o que é verdade, e o que mentira:

– O mosquito que pica o macaco (Haemagogus janthinomys) é diferente do que o que pica o homem (Aedes aegypti). O primeiro vive na mata fechada e o segundo dentro da sua casa.

– O pernilongo comum não participa dessa história.

– Os humanos suscetíveis, ao frequentarem áreas silvestres, podem ser picados por mosquitos infectados.

– Ao voltarem para casa, se estiverem contaminados e forem picados pelo Aedes, este é quem pode disseminar o vírus para outras pessoas.

– O Aedes vive dentro das casas e voa, no máximo, num raio de 500 metros. Ou seja, o mosquito não vai atravessar a cidade, a não ser que você permita que ele passe de casa em casa, inclusive na sua.

– Como não há casos de ciclo urbano de Febre Amarela no Brasil desde 1942, vacina-se apenas as populações que vivem mais próximas às matas nativas porque o vírus só pode vir de lá.

– Entenda que mata nativa é diferente de terreno abandonado ou de barranco com mato alto.

– Seguindo-se o “rastro” das mortes dos macacos, é possível saber por onde o vírus está andando, e assim protege-se as pessoas daquelas áreas. É o que chamam de “corredor do vírus”.

– Por isso é extremamente importante não sair matando macacos por aí! Além de indicarem por onde os vírus andam, eles são mais vítimas do que nós.

– Se você NÃO mora próximo a áreas de mata nativa, o vírus só chegará a você se houver o ciclo urbano através do Aedes, e este ciclo começa sempre afetando primeiro os moradores das áreas de mata. Por isso é importante fazer o bloqueio deles primeiro.

– Lembre-se que desde 1942 não há casos de ciclo urbano no Brasil.

– Se você se afobar e tomar a vacina sem necessidade e, esta faltar aos moradores das áreas de mata, fica muito mais fácil de começar o ciclo urbano, pois essas pessoas estarão desprotegidas por sua culpa.

– Se você quer realmente proteger a si e a sua família e colaborar com a cidade toda e com os serviços de saúde, não permita que o mosquito Aedes aegypti procria.

– Além de evitar a Febre Amarela, você também estará evitando a Dengue, a Zika e o Chikungunya.

– Você sabia que Sorocaba já tem caso confirmado de Chikungunya em 2018 e vários casos suspeitos de Dengue e nenhum de Febre Amarela em humanos? Pois é…

– A chave de tudo é o mosquito Aedes aegypti e não os macacos! Use sua inteligência!

– Entendeu agora porque a vacina não é para todo mundo?

– Ah, e antes que eu me esqueça, você já olhou seu quintal hoje atrás de água parada ou lembrou de usar repelente?

– Você pode até escapar da Febre Amarela, mas a Dengue, a Zika e o Chikungunya podem estar dentro da sua casa e você nem se deu conta disso!

– Percebeu como tem agido errado até então desesperando-se atrás da vacina?

Bora fazer o certo acabando com o mosquito!

Diu de cobre X Diu Mirena

Saiba os benefícios

Para a maioria das mulheres, tanto o DIU de Cobre quanto o DIU Mirena são excelentes opções de contracepção. Porém, dependendo das características pessoais, em alguns casos um tipo pode ser mais benéfico que o outro.

DIU de Cobre:

  • È livre de hormônios;

  • Mulheres que desejam uma contracepção por um período maior, podem preferir o DIU de cobre, pois este, após implantado, pode permanecer no útero por até 10 anos, ao contrário do DIU Mirena que precisa ser trocado com 5 anos;

  • É a melhor opção para mulheres que precisam evitar hormônios exógenos, (principalmente em pacientes com câncer de mama nos últimos 5 anos);

  • Melhor escolha para as mulheres que não querem ter redução do seu fluxo menstrual habitual;

  • É muito mais barato que o DIU Mirena.

DIU Mirena:

  • Para as mulheres com grande fluxo menstrual e que deseja reduzi-lo, é a opção de escolha pois este contém progesterona sintética.

  • Em algumas mulheres, o DIU Mirena pode interromper completamente a menstruação;

  • Auxilia no controle de cólicas menstruais, principalmente naquelas mulheres com dismenorréia moderada a grave;

  • O uso do DIU Mirena é favorável para mulheres com Endometriose.

Converse com seu ginecologista e escolha a melhor opção.

Trombose na Gravidez

A trombose na gravidez, é mais frequente em gestantes com idade superior a 35 anos, que já tiveram episódio de trombose numa gravidez anterior, como grávidas de gêmeos ou que têm excesso de peso. Esta condição é perigosa, e quando identificada, deve ser tratada pelo obstetra com injeções de anticoagulantes, como a heparina, durante a gestação e 6 semanas após o parto.
A trombose na gravidez surge quando se forma um coágulo de sangue que obstrui uma veia ou artéria, impedindo que o sangue passe por esse local. A trombose pode surgir em qualquer pessoa, porém é mais comum durante o período da gestação, pois a capacidade de coagulação e a circulação sanguínea são alteradas pelas alterações hormonais.Grávidas correm o risco de 5 a 20 vezes maior de desenvolver trombose.

Os tipos mais comum de trombose na gestação são:

  • Trombose venosa profunda: é o tipo mais comum de trombose, e afeta mais frequentemente as pernas, apesar de poder surgir em qualquer região do corpo;
  • Trombose hemorroidária: pode surgir nas hemorróidas provocadas pelo peso do bebê ou durante o parto;
  • Trombose na placenta: causado por coágulo nas veias da placenta, podendo provocar aborto nos casos mais graves;
  • Trombose no cordão umbilical: Apesar de ser raro, este tipo de trombose acontece nos vasos do cordão umbilical, impedindo o fluxo de sangue ao bebê;
  • Trombose cerebral na gravidez: provocado por um coágulo no cérebro, situação muito grave e provoca sintomas de AVC.

Sintomas:

Os sintomas de trombose na gravidez surgem, especialmente, nas pernas e incluem:

  • Dor na perna, que piora ao caminhar ou dobrando o pé para cima;
  • Vermelhidão e inchaço da perna;
  • Pele quente;
  • Aumento das veias locais.

É importante ressaltar que durante o período de gravidez, estes sintomas nem sempre confirmam a trombose, pois podem ocorrer devido a maior tendência para reter líquidos nas pernas. Por isso a visita ao médico obstetra é essencial para a realização da ultrassom e assim despistar o diagnóstico de trombose.Na presença de qualquer um destes sintomas, a grávida deve ligar imediatamente para o 192 ou ir ao pronto-socorro, já que a trombose é uma doença grave, que pode causar embolia pulmonar na mãe quando o coágulo se desloca até os pulmões, gerando sintomas como falta de ar, tosse com sangue ou dor no peito.

Trombose tem cura e pode ser evitado na gravidez.

Alguns cuidados para evitar a trombose na gravidez são:

 – Utilizar meias de compressão desde o início da gestação, para facilitar a circulação sanguínea;
– Fazer exercício físico leve regular, como caminhadas ou natação, para melhorar a circulação do sangue;Evitar ficar mais de 8 horas deitada ou mais de 1 hora sentada;
– Não cruzar as pernas, pois dificulta a circulação de sangue nas pernas;Ter uma alimentação saudável, pobre em gordura e rica em fibras e água;
– Evitar fumar ou conviver com pessoas que fumam, porque a fumaça do cigarro pode aumentar o risco de trombose.
A gestante que já sofreu de trombose na gravidez deve informar o obstetra, para iniciar o tratamento com injeções de heparina, se necessário, de forma a prevenir o surgimento de uma nova trombose.

Como evitar a Lombalgia?

Você conhece a lombalgia? O problema é caracterizado pelo incômodo na região lombar e é normalmente lembrado como dor nas costas.

Existem dois tipos de lombalgia: aguda que é caracterizada por uma dor forte e repentina, que aparece após algum esforço físico, e a crônica, que pode ser causada por problemas degenerativos e tendem a se agravar com a idade. Segundo especialistas, alguns fatores podem propiciar o problema, como o estresse, a obesidade, sedentarismo, trauma, gravidez e trabalhos repetitivos. Todos estes fatores influenciam na causa mais importante de dores na coluna lombar: a postura.

Para evitar as dores, é preciso se reeducar para não sobrecarregar a coluna. A forma como você dorme pode ajudar bastante no problema. A melhor posição na hora do sono é aquela em que se fica de lado, preservando o alinhamento da coluna. Médicos especialistas explicam que, para isso, a escolha do travesseiro é essencial. Dê preferência a um travesseiro na altura dos ombros, que deixe o pescoço sempre reto. Além disso, flexionar pernas também pode ajudar bastante, já que traz relaxamento para a coluna lombar.

Participe do nosso Curso para Gestante

Gravidinhas,
Novidade pra anotar na agenda:
Dia 26 de Agosto, acontece nosso primeiro Curso para Gestantes!
A carga horária é de 8 horas e a programação envolve os principais dilemas dos pais de primeira viagem: cuidados com a amamentação, cuidados com o bebê na prática, trabalho de parto, baby blues, depressão pós-parto e muito mais…
Todas as gestantes e familiares são bem-vindos!
Para se inscrever e saber mais, acesse o link: Somos Mães de Primeira Viagem – Curso para Gestantes 

Diabetes Gestacional: o que é?

O diabetes gestacional é uma hiperglicemia, ou seja, aumento dos níveis de glicose no sangue, e geralmente, se cura logo após o parto. Mas se a mulher teve diabetes gestacional, ela está em risco para o diabetes tipo 2. Dessa forma, é importante manter os cuidados e acompanhamento médico mesmo após ter o bebê

O diabetes gestacional raramente causa sintomas. Dessa forma, é preciso fazer exames periódicos durante toda a gravidez, principalmente entre as semanas 24 e 28. É importante fazer esses exames uma vez que o açúcar elevado no sangue pode causar problemas para você e seu bebê

Ácido hialurônico: pele firme e jovem

O ácido hialurônico é uma molécula complexa de açúcar produzida naturalmente pelo nosso corpo. Mas com o passar dos anos, essa produção tende a cair e é quando começamos a notar as imperfeições e rugas. A pele vai perdendo fibras elásticas e tornando-se cada vez mais enrugada e flácida.
Genética, exposição solar, má alimentação e o fumo são alguns dos fatores que aceleram esse processo.

Nesses casos, pode ser indicado o preenchimento com ácido hialurônico que é responsável por manter as formas, contornos, repor o volume da face e hidratar profundamente os tecidos, Essa substância é o principal preenchedor utilizado atualmente.
O procedimento leva até 30 minutos e o resultado dura cerca de um ano. Logo após o procedimento o paciente pode voltar a sua rotina. A Clínica Ellas oferece esse e outros procedimentos dermatológicos. Para saber mais, entre em contato: (11) 3473-1462. 

Vulvite e vulvovaginite: quais são as diferenças?

A vulvite e a vulvovaginite são inflamações da parte externa do órgão genital feminino – a vulva. A principal diferença entre as inflamações é que a vulvite é uma irritação na vulva e a vulvovaginite na vulva e na vagina.
As infecções são causadas pela presença de microorganismos que provocam corrimento, assim como a candidíase, a tricomoníase e clamídia que também podem desenvolver a vulvite e a vulvovaginite.
O uso de produtos alérgicos, como calcinhas de tecido sintético, amaciantes, papel higiênico colorido ou perfumado, sabonetes e até o hábito diário de fazer ducha vaginal também podem causar a vulvovaginite.
Mulheres grávidas devem ter o cuidado dobrado, pois podem desenvolver vulvites crônicas após o parto, isso devido à imunidade baixa que é propícia a infecções causadas por sensibilidade a determinados produtos químicos, como o látex da camisinha, tampões vaginais e sabonetes íntimos

Colostro: o primeiro leite materno

O colostro é um líquido espesso, pegajoso, de cor clara e amarelada, que as mamas armazenam a partir do sétimo mês de gravidez. Confira alguns benefícios do colostro para o Bebê:

O colostro é o primeiro alimento perfeito para bebês, com mais proteína e vitamina A do que o leite materno maduro;

O bebê não deve consumir água ou qualquer alimento artificial, pois o colostro se dilui. Os rins do recém-nascido não estão preparados para receber grandes volumes de líquidos e a água adicional coloca-os sob pressão. Por isso, não é necessário oferecer água aos recém-nascidos;
O colostro é laxante e ajuda o bebê a eliminar o mecônio, que pode prevenir icterícia;
Contêm proteínas especiais que possuem a capacidade de defender o recém-nascido de infecções. O colostro é a primeira imunização do bebê contra muitas bactérias e vírus.

 

Frequência urinária aumentada na Gravidez

Qual a grávida que nunca sentiu vontade de urinar no meio da noite?! Isso pode acontecer por conta do avanço da gestação, o tamanho do útero diminui a capacidade da bexiga, justo no período em que o seu organismo está produzindo mais urina, além disso, há mais sangue circulando, ou seja, mais líquido sendo processado pelos rins. Mesmo com a bexiga vazia, algumas futuras mamães podem sentir a sensação de que ela ainda está cheia, por conta da pressão.

Caso a gestante sinta dor, queimação ou uma enorme vontade de urinar e só fazer gotinhas é melhor procurar o médico. Esse é um sinal da polaciúria, um problema de micção conhecida como frequência urinária aumentada.