ADOLESCÊNCIA E MENSTRUAÇÃO

Dez coisas que você precisa saber sobre menstruação

Durante a fase da menstruação é comum que o corpo da garota comece a mudar, o que pode ser uma surpresa para muitas. Por isso é importante saber o que o está por vir em cada etapa dessas transformações e principalmente como funciona o ciclo menstrual.

Veja a seguir dez coisas que toda garota precisa saber sobre a menstruação:

1 –    A partir de que idade é normal  o aparecimento das mamas?

O desenvolvimento de mamas, que os médicos chamam de telarca, e o desenvolvimento de pelos nas axilas e na região do púbis podem se iniciar a partir dos 8 anos de idade. Quando o aparecimento for mais precoce, é preciso procurar um médico. Por outro lado, se o desenvolvimento das mamas e pelos não ocorrer até os 13 anos de idade, também é preciso fazer uma avaliação.

2 –    A partir de que idade é normal menstrual?

A menarca, que é o nome que se usa para a primeira menstruação, geralmente acontece cerca de dois anos após o início  do  desenvolvimento  das  mamas.  Assim,  menstruar  a  partir  dos  10  anos  de  idade  e  até  os  15  anos  é  normal. Meninas que tem a menarca antes dos 10 anos ou que não menstruaram até os 15 anos devem ser procurar o médico.

3 –   A menstruação pode ser irregular?

Nos primeiros dois anos após a primeira menstruação é muito comum que o intervalo entre as menstruações seja irregular e que, em alguns meses, não ocorra menstruação. Isto acontece em 43%  das meninas durante o primeiro

ano. Embora este problema vá diminuindo, em 20% das adolescentes ainda há irregularidade mesmo após  o sexto ano do início das menstruações.

4-    Por que a menstruação é irregular nesta fase?

Em  adolescentes,  a  causa  mais  comum  de  menstruação  irregular  é  a  falta  da  ovulação  devido  a  imaturidade  do sistema  que  controla os  hormônios  femininos.  Como  isto  pode  ocorrer  por  alguns  anos, só  o  acompanhamento  vai mostrar quando  a menstruação  normalizar, mas em uma pequena porcentagem  dos  casos esta irregularidade  pode persistir mesmo na vida adulta, devido a falta de ovulação.

5 –   Quanto tempo pode durar o sangramento irregular e aumentado?

Na maioria dos casos, o sangramento devido a imaturidade resolverá espontaneamente, mas se o tratamento for necessário pela quantidade de sangramento, deverá ser usado. É importante uma dieta rica em ferro para evitar anemia e, eventualmente, podem ser prescritos hormônios para regular a menstruação ou até medicamentos anti-

inflamatórios.

6 –  E quando o sangramento ocorre em grande quantidade?

Embora às vezes o sangramento possa ser aumentado, em especial quando ficar meses sem menstruar, se isto ocorre na maioria das menstruações é importante uma avaliação, pois existem algumas doenças da coagulação do sangue que se manifestam clinicamente depois da menarca e que podem ter passado desapercebido até este momento.

7-  Como posso perceber que minha menstruação pode não ser normal e o que pode ser feito?

Procure seu médico e informe detalhadamente seu calendário menstrual, incluindo a duração e a severidade do sangramento, assim como a história de outros problemas hematológicos como sangramento na gengiva ou nariz aparentemente sem motivo. O médico vai orientar se é preciso investigar distúrbios incluindo os da coagulação.

8 –    É normal ter cólica menstrual?

A cólica menstrual é chamada dismenorreia, que pode ser primária e secundária. Geralmente a dismenorreia primária aparece  pouco  tempo  depois  que  a  mulher  começa  a  menstruar,  ainda  na  adolescência,  enquanto  a  dismenorreia secundária  tem  causas  que  precisam  ser  investigadas. Procure  seu médico,  relate  como  é  sua  dismenorreia,  se  isto atrapalha suas atividades. Há medicações que podem auxiliar. Ele vai te orientar.

9 –   Se a menstruação for irregular, pode ser Síndrome dos Ovários Policísticos?

O diagnóstico da Síndrome dos Ovários Policísticos na adolescência não é muito fácil. O médico vai avaliar os sintomas e as outras manifestações. Geralmente é preciso acompanhar por algum tempo antes de afirmar que os sintomas são por síndrome dos ovários policísticos ou se vão desaparecer e se normalizar com o “amadurecimento” do organismo.

10 –    Porque deveria ir ao médico na adolescência?

Nesta fase, o ginecologista pode orientar sobre as mudanças no corpo, sobre os sintomas, sobre anticoncepção, sobre a vacinação.  Procure um(a) médico (a) que te oriente, fale de suas dúvidas.

 

Vale lembrar que a menstruação não deve se tornar um tabu durante a adolescência, procure um ginecologista para melhor orientar sobre as mudanças e sintomas no corpo.

 

Fonte: Febrasgo

Cuidados específicos no Outono

Conheça 8 dicas para se cuidar nesta época do ano

Em cada estação do ano os cuidados com a pele devem ser específicos. Com a chegada do outono não será diferente, alguns cuidados que envolvem a saúde e, principalmente, a aparência da pele pode se tornar uma tarefa bastante complicada para as mulheres. Isso porque o outono é caracterizado pela baixa umidade do ar e pelo vento frio, que podem aumentar as chances de o tecido cutâneo ressecar e apresentar coceiras e rachaduras. Veja a seguir oito dicas para se cuidar nesta época do ano:

1. Abuse dos hidratantes

O outono é conhecido por ser uma época do ano em que as temperaturas são amenas, mas que possui ventos mais frescos, principalmente de manhã e no fim do dia.

Isso causa um ressecamento natural da pele, o que exige que tenhamos mais cuidados para nos proteger de tais condições climáticas. O ideal é fazer uso redobrado dos hidratantes logo após o banho, quando a pele ainda está úmida.

Para peles extremamente secas, a recomendação é procurar cosméticos com ação profunda e que preferencialmente contenham óleos vegetais ou minerais. Para o rosto, é importante usar um hidratante específico para a região, assim como para as demais áreas do corpo.

2. Cuidado com a maquiagem

Para as mulheres é difícil sair de casa sem aquela maquiagem mesmo que básica, pois ela faz parte da rotina diária de embelezamento. Porém os cuidados com a pele no outono e no inverno que todas as mulheres devem ter é o de maneirar no abuso das maquiagens.

Opte por trocar as bases comuns pelas que contém hidratantes na composição. Isso evitará o ressecamento do rosto e deixará um efeito mais natural.

Outro cuidado fundamental está relacionado com a retirada da maquiagem, que deve ser feita todos os dias antes de dormir, com um demaquilante sem álcool. Após o uso do produto, é imprescindível lavar o rosto adequadamente com sabonetes específicos e aplicar um creme ou hidratante facial.

3. Use sabonetes específicos

O uso de sabonetes específicos para seu tipo de pele pode ser a chave para redobrar os cuidados no outono.

Isso porque alguns desses produtos de limpeza agravam ainda mais o ressecamento da pele, e por esse motivo, é bom optar por aqueles que tenham hidratante.

4. Use filtro solar

Não é porque o sol está aparentemente mais fraco que ele não causa problemas. Os raios UV continuam incidindo na pele, principalmente em quem esquece de usar o filtro solar.

Por isso é importante fazer uso do protetor mesmo em dias nublados, pois além de causar manchas e ressecamentos, pode propiciar também o câncer de pele.

5. Evite a esfoliação excessiva

A esfoliação no outono pode ser prejudicial à pele. Isso porque ela elimina as células mortas, deixando a pele mais exposta.

Ao realizar um procedimento desse tipo, o faça com prudência e não mais do que uma vez na semana. Logo após, use um hidratante específico para seu tipo de pele.

6. Tenha cuidado com os lábios

A boca também não pode ser negligenciada no outono. Com as temperaturas mais amenas e com o vento frio, os lábios podem ficar rachados e, além do aspecto não ser agradável, a sensação também não é a das melhores.

Usar um protetor labial diariamente, como manteiga de cacau, por exemplo, é um dos cuidados essenciais no outono, pois ele irá evitar lesões e desconfortos.

7.  Banhos mornos

Quanto mais frio o tempo, maior a tendência do banho ser cada vez mais quente e demorado. Isso pode ser um problema, já que a alta temperatura da água pode fazer com que a proteção da pele seja perdida. Para evitar esse tipo de situação, não tome banhos quentes demorados e prefira a água morna a quente.

8. Hidratação é tudo, beba bastante água

Quando o tempo está mais frio, a tendência é a de que a gente beba menos água. Porém, a hidratação é essencial em todas as épocas do ano.

Faça a ingestão de bastante água mesmo no outono. A hidratação líquida ajuda a prevenir o ressecamento da pele e a deixa mais bonita e saudável.

 

Saiba como uma má alimentação afeta sua qualidade de vida

Sabemos que uma má alimentação pode afetar e muito a nossa saúde. O que poucos sabem infelizmente,  é que este hábito de se alimentar mal já vem de uma cultura que é passada de geração para geração. O Uso de gorduras trans e açúcares para o preparo dos alimentos são os principais erros que levam ao ganho de peso e dificulta o processo de emagrecimento, pois possuem alto índice de carga glicêmica, que são ingeridos rapidamente absorvidos e caem na corrente sanguínea elevando uma taxa de glicose presente no sangue.

A seguir veja alguns alimentos e bebidas que podem causar um sério risco a saúde se consumidos constantemente:

Refeições prontas e congeladas como: lasanha e pizza são alimentos ricos em gordura saturada e fazer subir os níveis do colesterol ruim (LDL), sem falar do risco de doenças cardiovasculares e da pressão arterial, por conta da quantidade exagerada de sódio encontrados nesses alimentos.

Alimentos embutidos como: Salsicha, linguiça, mortadela, presunto, salame, entram na lista de alimentos que contém excesso de sódio. Esses alimentos além de prejudicar a saúde com doenças já citadas, podem causar alergias e problemas estomacais e algumas substâncias potencialmente cancerígenas.

As frituras  devem ser evitadas, devido às alterações químicas que ocorrem no óleo, principalmente quando utilizado várias vezes para fritar os alimentos.

O famoso pão com manteiga no café da manhã, pode parecer inofensivo, mas não é, pois possuem quantidade de gorduras trans, que pode provocar um acúmulo de gordura na região abdominal.

Os refrigerantes são os principais responsáveis pelo ganho excessivo de peso e obesidade, pelo fato de conter grande quantidade de excesso de açúcares.

Meninas, isso não quer dizer que vocês não possam comer esses tipos de alimentos, mas é importante ficar atentas para o excesso de vezes que são consumidos na rotina. O ideal é evitar o excesso de açúcares e gorduras trans para manter uma vida mais saudável.

Sobre a Febre Amarela e a “falta de vacinas para todo mundo”

A febre amarela é o assunto do momento, e por conta disso surgem muitas dúvidas. Saiba agora o porquê você deve ou não tomar a vacina da Febre Amarela, o que é verdade, e o que mentira:

– O mosquito que pica o macaco (Haemagogus janthinomys) é diferente do que o que pica o homem (Aedes aegypti). O primeiro vive na mata fechada e o segundo dentro da sua casa.

– O pernilongo comum não participa dessa história.

– Os humanos suscetíveis, ao frequentarem áreas silvestres, podem ser picados por mosquitos infectados.

– Ao voltarem para casa, se estiverem contaminados e forem picados pelo Aedes, este é quem pode disseminar o vírus para outras pessoas.

– O Aedes vive dentro das casas e voa, no máximo, num raio de 500 metros. Ou seja, o mosquito não vai atravessar a cidade, a não ser que você permita que ele passe de casa em casa, inclusive na sua.

– Como não há casos de ciclo urbano de Febre Amarela no Brasil desde 1942, vacina-se apenas as populações que vivem mais próximas às matas nativas porque o vírus só pode vir de lá.

– Entenda que mata nativa é diferente de terreno abandonado ou de barranco com mato alto.

– Seguindo-se o “rastro” das mortes dos macacos, é possível saber por onde o vírus está andando, e assim protege-se as pessoas daquelas áreas. É o que chamam de “corredor do vírus”.

– Por isso é extremamente importante não sair matando macacos por aí! Além de indicarem por onde os vírus andam, eles são mais vítimas do que nós.

– Se você NÃO mora próximo a áreas de mata nativa, o vírus só chegará a você se houver o ciclo urbano através do Aedes, e este ciclo começa sempre afetando primeiro os moradores das áreas de mata. Por isso é importante fazer o bloqueio deles primeiro.

– Lembre-se que desde 1942 não há casos de ciclo urbano no Brasil.

– Se você se afobar e tomar a vacina sem necessidade e, esta faltar aos moradores das áreas de mata, fica muito mais fácil de começar o ciclo urbano, pois essas pessoas estarão desprotegidas por sua culpa.

– Se você quer realmente proteger a si e a sua família e colaborar com a cidade toda e com os serviços de saúde, não permita que o mosquito Aedes aegypti procria.

– Além de evitar a Febre Amarela, você também estará evitando a Dengue, a Zika e o Chikungunya.

– Você sabia que Sorocaba já tem caso confirmado de Chikungunya em 2018 e vários casos suspeitos de Dengue e nenhum de Febre Amarela em humanos? Pois é…

– A chave de tudo é o mosquito Aedes aegypti e não os macacos! Use sua inteligência!

– Entendeu agora porque a vacina não é para todo mundo?

– Ah, e antes que eu me esqueça, você já olhou seu quintal hoje atrás de água parada ou lembrou de usar repelente?

– Você pode até escapar da Febre Amarela, mas a Dengue, a Zika e o Chikungunya podem estar dentro da sua casa e você nem se deu conta disso!

– Percebeu como tem agido errado até então desesperando-se atrás da vacina?

Bora fazer o certo acabando com o mosquito!

Diu de cobre X Diu Mirena

Saiba os benefícios

Para a maioria das mulheres, tanto o DIU de Cobre quanto o DIU Mirena são excelentes opções de contracepção. Porém, dependendo das características pessoais, em alguns casos um tipo pode ser mais benéfico que o outro.

DIU de Cobre:

  • È livre de hormônios;

  • Mulheres que desejam uma contracepção por um período maior, podem preferir o DIU de cobre, pois este, após implantado, pode permanecer no útero por até 10 anos, ao contrário do DIU Mirena que precisa ser trocado com 5 anos;

  • É a melhor opção para mulheres que precisam evitar hormônios exógenos, (principalmente em pacientes com câncer de mama nos últimos 5 anos);

  • Melhor escolha para as mulheres que não querem ter redução do seu fluxo menstrual habitual;

  • É muito mais barato que o DIU Mirena.

DIU Mirena:

  • Para as mulheres com grande fluxo menstrual e que deseja reduzi-lo, é a opção de escolha pois este contém progesterona sintética.

  • Em algumas mulheres, o DIU Mirena pode interromper completamente a menstruação;

  • Auxilia no controle de cólicas menstruais, principalmente naquelas mulheres com dismenorréia moderada a grave;

  • O uso do DIU Mirena é favorável para mulheres com Endometriose.

Converse com seu ginecologista e escolha a melhor opção.

Você sabe o que significa ter insuficiência istmo-cervical (IIC)?

Insuficiência istmo-cervical significa que o colo útero é mais fraco ou curto que normal, ou seja a incapacidade de manter um gravidez.

O problema é que a dilatação pode acontecer rápido demais e o bebê nascer muito antes do tempo, ainda no segundo trimestre. Nessa fase da gestação, a criança tem poucas condições de sobreviver fora da barriga, e pode acontecer o chamado aborto espontâneo tardio.
Normalmente a incompetência istmo-cervical não apresenta sintomas, é suspeitado após uma ou mais perdas sem motivo aparente.
O ideal é que depois da experiência e antes de engravidar de novo, a paciente deve converse com o Obstetra para que investigue o problema.

Se os riscos forem detectados antes da gravidez, será mais fácil administrar o caso e pensar em procedimentos que evitem perdas.

Caso o médico considere que você pode estar com insuficiência cervical, pode pedir mais ultrassons transvaginais desde o começo da gravidez para acompanhar o colo do útero e procurar sinais de “apagamento” (afinamento).

Quanto mais curto estiver o colo do útero, maior é a possibilidade de haver parto prematuro ou aborto tardio, dependendo do tempo de gravidez.

Mas saiba que nem toda situação de colo curto leva a um parto prematuro. E nem todo colo curto é indicação de insuficiência cervical. ​

Trombose na Gravidez

A trombose na gravidez, é mais frequente em gestantes com idade superior a 35 anos, que já tiveram episódio de trombose numa gravidez anterior, como grávidas de gêmeos ou que têm excesso de peso. Esta condição é perigosa, e quando identificada, deve ser tratada pelo obstetra com injeções de anticoagulantes, como a heparina, durante a gestação e 6 semanas após o parto.
A trombose na gravidez surge quando se forma um coágulo de sangue que obstrui uma veia ou artéria, impedindo que o sangue passe por esse local. A trombose pode surgir em qualquer pessoa, porém é mais comum durante o período da gestação, pois a capacidade de coagulação e a circulação sanguínea são alteradas pelas alterações hormonais.Grávidas correm o risco de 5 a 20 vezes maior de desenvolver trombose.

Os tipos mais comum de trombose na gestação são:

  • Trombose venosa profunda: é o tipo mais comum de trombose, e afeta mais frequentemente as pernas, apesar de poder surgir em qualquer região do corpo;
  • Trombose hemorroidária: pode surgir nas hemorróidas provocadas pelo peso do bebê ou durante o parto;
  • Trombose na placenta: causado por coágulo nas veias da placenta, podendo provocar aborto nos casos mais graves;
  • Trombose no cordão umbilical: Apesar de ser raro, este tipo de trombose acontece nos vasos do cordão umbilical, impedindo o fluxo de sangue ao bebê;
  • Trombose cerebral na gravidez: provocado por um coágulo no cérebro, situação muito grave e provoca sintomas de AVC.

Sintomas:

Os sintomas de trombose na gravidez surgem, especialmente, nas pernas e incluem:

  • Dor na perna, que piora ao caminhar ou dobrando o pé para cima;
  • Vermelhidão e inchaço da perna;
  • Pele quente;
  • Aumento das veias locais.

É importante ressaltar que durante o período de gravidez, estes sintomas nem sempre confirmam a trombose, pois podem ocorrer devido a maior tendência para reter líquidos nas pernas. Por isso a visita ao médico obstetra é essencial para a realização da ultrassom e assim despistar o diagnóstico de trombose.Na presença de qualquer um destes sintomas, a grávida deve ligar imediatamente para o 192 ou ir ao pronto-socorro, já que a trombose é uma doença grave, que pode causar embolia pulmonar na mãe quando o coágulo se desloca até os pulmões, gerando sintomas como falta de ar, tosse com sangue ou dor no peito.

Trombose tem cura e pode ser evitado na gravidez.

Alguns cuidados para evitar a trombose na gravidez são:

 – Utilizar meias de compressão desde o início da gestação, para facilitar a circulação sanguínea;
– Fazer exercício físico leve regular, como caminhadas ou natação, para melhorar a circulação do sangue;Evitar ficar mais de 8 horas deitada ou mais de 1 hora sentada;
– Não cruzar as pernas, pois dificulta a circulação de sangue nas pernas;Ter uma alimentação saudável, pobre em gordura e rica em fibras e água;
– Evitar fumar ou conviver com pessoas que fumam, porque a fumaça do cigarro pode aumentar o risco de trombose.
A gestante que já sofreu de trombose na gravidez deve informar o obstetra, para iniciar o tratamento com injeções de heparina, se necessário, de forma a prevenir o surgimento de uma nova trombose.

Como escolher o melhor método contraceptivo?

Saiba como funciona cada método.

Os métodos contraceptivos são a melhor forma de prevenção para mulheres que não desejam engravidar. Conheça cada um dos métodos hormonais e não hormonais citados abaixo:

Métodos Hormonais

  • Adesivo:

O que é: É um adesivo fino, que deve ser aplicado sobre a pele, que contém dois tipos de hormônios, o estrogênio e progestogênio.

Eficácia: 91%, se usado corretamente

Duração: Substituir toda semana

 

  • Anel Vaginal

O que é: É um método contraceptivo em formato de anel de silicone que deve ser inserido na vagina, de forma a impedir a ovulação e a gestação através da liberação gradual de hormônios.

Eficácia: 99,7%, se usado corretamente.

Duração: O anel deve ser trocado a cada 3 semanas seguidas, após esse tempo deve ser retirado. E fazer uma pausa de 1 semana, antes de colocar o anel novamente.

 

  • Injeção

O que é: É um anticoncepcional injetável aplicado no músculo (da nádega ou no braço) que pode ser administrada mensalmente ou trimensalmente.

Eficácia: 97%
Duração: 3 meses

 

  • Pílula anticoncepcional

O que é: A pílula anticoncepcional deve ser utilizada pela via oral. As pílulas anticoncepcionais são divididas em duas categorias: as combinadas que contém os hormônios estrogênio e progestogênio, e das isoladas, que contém apenas progestogênio.

Eficácia: 97%, se usada corretamente

Duração: Tomar diariamente

 

  • Pílula do do dia seguinte

O que é: É um método anticoncepcional de emergência utilizado para evitar uma gravidez indesejada, após a relação sexual desprotegida.

Eficácia: Deve ser usado no período de até 72 horas, após a relação sexual.

Duração: Tomar a pílula de dose única

Métodos não hormonais

  • Preservativo feminino

O que é:  O preservativo feminino deve ser inserido na vagina antes do ato sexual. O uso de preservativos é o método mais seguro para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), e de uma gravidez indesejável.

Eficácia: 98%, se usado corretamente

Duração: Utilizar a cada ato sexual

  • Preservativo masculino

O que é: O preservativo masculino mais conhecido como ‘’capa’’ protetora, deve ser usado no pênis do parceiro. O preservativo impede contato direto entre o pênis e vagina que consequentemente evitando doenças sexualmente transmissíveis  (DSTs).

Eficácia: 85%, Se usado corretamente

Duração: Utilizar a cada ato sexual.

 

  • Diafragma

O que é: O diafragma é um método contraceptivo que tem a forma de um anel flexível envolvido por uma fina camada de borracha que impede a entrada dos espermatozoides no útero, evitando consequentemente uma gravidez indesejável.

Eficácia: 94%, se usado corretamente

Duração: Deve ser trocado a cada ato sexual

 

  • Diu de cobre

O que é: O DIU de cobre é um método contraceptivo para a prevenção de gravidez que é colocado dentro do útero da mulher. Na prática, é mais eficaz que os anticoncepcionais orais.

Eficácia: 94,4% se usado corretamente.

Duração: 5 anos

 

  • Espermicida

O que é:  É uma substância química que mata os espermatozóides. Deve ser introduzido profundamente na vagina perto do colo do útero, antes do ato sexual.

Eficácia: 71%, se usado corretamente

Duração: Aplicar em cada ato sexual

 

  • Laqueadura

O que é: O procedimento deve ser realizado por uma equipe médica, no ambiente hospitalar. Esse procedimento é indicado para mulheres que já são mães e não querem ter mais filhos.

Eficácia: 95%

Duração: Efeito permanente

Vale lembrar que cada mulher é única e o eu anticoncepcional também, por isso não deixe de conversar com seu médico Ginecologista para juntos escolherem o melhor método.

Como evitar a Lombalgia?

Você conhece a lombalgia? O problema é caracterizado pelo incômodo na região lombar e é normalmente lembrado como dor nas costas.

Existem dois tipos de lombalgia: aguda que é caracterizada por uma dor forte e repentina, que aparece após algum esforço físico, e a crônica, que pode ser causada por problemas degenerativos e tendem a se agravar com a idade. Segundo especialistas, alguns fatores podem propiciar o problema, como o estresse, a obesidade, sedentarismo, trauma, gravidez e trabalhos repetitivos. Todos estes fatores influenciam na causa mais importante de dores na coluna lombar: a postura.

Para evitar as dores, é preciso se reeducar para não sobrecarregar a coluna. A forma como você dorme pode ajudar bastante no problema. A melhor posição na hora do sono é aquela em que se fica de lado, preservando o alinhamento da coluna. Médicos especialistas explicam que, para isso, a escolha do travesseiro é essencial. Dê preferência a um travesseiro na altura dos ombros, que deixe o pescoço sempre reto. Além disso, flexionar pernas também pode ajudar bastante, já que traz relaxamento para a coluna lombar.

Participe do nosso Curso para Gestante

Gravidinhas,
Novidade pra anotar na agenda:
Dia 26 de Agosto, acontece nosso primeiro Curso para Gestantes!
A carga horária é de 8 horas e a programação envolve os principais dilemas dos pais de primeira viagem: cuidados com a amamentação, cuidados com o bebê na prática, trabalho de parto, baby blues, depressão pós-parto e muito mais…
Todas as gestantes e familiares são bem-vindos!
Para se inscrever e saber mais, acesse o link: Somos Mães de Primeira Viagem – Curso para Gestantes